sexta-feira, 11 de maio de 2012

DISSIDÊNCIA - Gil Raposo

Defina-me!

Na graça e na loucura,

Com o diabo e o ócio em cheiro de tentação.

No fio da imaginação, no sentido

E na flor da pele
Incidindo a Deus um acordo inusitado.

Em meus campos de centeio
Um fruto em mim jaz colhido
E o peito armado a um sócio
Por um olhar de entrega.

Em tuas mãos eu descanso

E minha consciência entra na língua e na perdição

E a linha por servir o delírio, a lucidez em movimento

E a razão em abrangência
Se esgota de graça e se consome na paz

E tudo em seu lugar,

Tem similar dissidência
E deixa a minha vivencia
Entregue, sem relutar.

Gil Raposo
é proprietário da Jet Collor 

  Outras postagens
Dissidência 
Minha bela
Mortificar
 

Um comentário:

  1. tanta palavra dificiu q num entendir direito + vou ler dnovo

    ResponderExcluir